lixos pós jogo d Copa

terça-feira, 22 de julho de 2014

Cake Boss no Brasil




Esteve no Brasil neste último dia 20 no Shopping Eldorado, onde se apresentou com mais de 600 mil pessoas que o aguardava com gritos ,eforia. O congestionamento das marginais sinalizava que algo de especial acontecia nas proximidades do evento.

  O confeiteiro Buddy Valastro, estrela dos programas "Cake Boss" e "A Batalha dos Confeiteiros" (exibidos pelo canal a cabo Discovery Home & Health), está visitando o Brasil para divulgar a estreia de sua série "Bakery Boss", na qual auxilia outras confeitarias com problemas estruturais a recuperar seus clientes.
No programa, que estreia em 14 de agosto no canal a cabo TLC, Buddy explica que é "confeiteiro, conselheiro e consultor, tudo ao mesmo tempo", sem perder a compostura.



  Eu não grito com as pessoas, mesmo que elas fiquem alteradas. Eu sempre lembro que foram elas que me chamaram para ajudar. Se você pede a minha opinião, eu vou dar a minha opinião, então é preciso saber receber críticas".
Conhecido por seus bolos decorados, ele  ficou surpreso com a recepção que recebeu no Brasil, com tratamento de estrela do rock - com direito a fãs que dormiram na frente de um shopping para garantir um bom lugar para vê-lo em uma exibição aberta ao público no último fim de semana.
"Já rodei o mundo todo, mas nunca vi nada parecido", contou. "Quando começamos o programa, em 2008, a ideia era mostrar como funcionava a confeitaria, os bolos decorados que fazíamos. Nunca imaginei que chegaria a tanto", disse em entrevista em São Paulo. "Com certeza vou voltar para cá para produzir algum conteúdo local para os programas".
Confeitaria em casa
Para os confeiteiros amadores que desejam reproduzir em casa os bolos que fizeram a fama da Carlo's Bakery (atualmente com sete unidades espalhadas nos Estados Unidos), ele sugere, literalmente, colocar a mão na massa - ou melhor, no fondant, pasta de açúcar que ele chama de "o elemento mágico da decoração dos bolos".
"Parece complexo, mas é muito fácil. Depois que você abre o fondant, qualquer um consegue cortar e colar os elementos para o bolo - ele te dá mais espaço de manobra em caso de erro. E é bem mais fácil do que ficar tentando alisar glacê no topo do bolo com uma espátula para dar aquele ar profissional".
Outra dica do Cake Boss é sempre conhecer seus ingredientes e o que eles podem fazer. "Eu trabalho com cobertura de glacê e de creme de manteiga, por exemplo. Mas se você quer um bolo do tamanho de uma mesa que ainda por cima cante e dance, vai precisar cobrir com fondant", explica.
Tradição e pirotecnia
Buddy assumiu o comando da Carlo's Bakery aos 17 anos, após a morte do pai. Decorador autodidata, ele explica que tenta equilibrar a forte tradição italiana familiar com os visuais extravagantes com os quais ganhou fama.
"O mais importante de tudo, para mim, é o sabor do bolo", explica. "Meu pai tinha bolos ótimos, mas o tipo de doce que ele fazia estava perdendo terreno para os produzidos em supermercados. Ao mesmo tempo, os bolos decorados que eu via não tinham sabor nenhum - era um artista fazendo o bolo, não um confeiteiro. Então achei um nicho de mercado: as receitas do meu pai, com um tipo de decoração que nenhum supermercado seria capaz de reproduzir".
E o que o Cake Boss desejava conhecer no Brasil? A resposta foi uma surpresa: "eu frequento muito os restaurantes tipo rodízio em Nova Jersey e hoje vão me levar para almoçar em uma churrascaria aqui em São Paulo. Estou bem ansioso para saber se estão fazendo tudo direito lá nos Estados Unidos!"
O confeiteiro também foi apresentado aos brigadeiros - e, ao contrário do chef britânico Jamie Oliver, que criticou o excesso de açúcar do quitute, Valastro gostou bastante do produto. "Eu peso cerca de 99 quilos, mas acho que depois dessa viagem vou ter que entrar de dieta: comi brigadeiro demais por aqui!", ri.


sexta-feira, 18 de julho de 2014

O FALSO PROFETA

                                             Saiba Identificar o Falso Profeta
1) Apocalipse 13:1 é uma figura do aparecimento do Anticristo. Como o "mar" na Bíblia quase sempre se refere às nações gentílicas, o Anticristo deverá vir das nações gentílicas da terra. Posteriormente, no verso 11, Deus diz que o Falso Profeta, um falso cristão, emergirá da "terra". Como a "terra" na profecia bíblica quase sempre se refere a Israel, podemos assumir que o Falso Profeta deverá vir de Israel. A segunda sentença no verso 11 ilustra o Falso Profeta como um falso cristão, isto é, "possuía dois chifres como um cordeiro, mas falava como dragão". Logicamente, os "dois chifres como um cordeiro" é uma referência a Jesus Cristo, o "cordeiro que tira o pecado do mundo". No entanto, o coração do Falso Profeta é totalmente satânico ("mas falava como dragão");
2) O Anticristo e seu reino são retratados como uma besta com sete cabeças de dez chifres. O termo "chifres" muito possivelmente se refere a líderes, ou reis, uma entidade política. No entanto, esse agrupamento político de dez chifres parece depender do suporte e da vida das sete cabeças. Em Daniel 2:41-44 e 8:23-24, vemos que o Anticristo aparecerá após os dez reinos estarem estabelecidos;
3) Finalmente, em Apocalipse 17:12-17, vemos que os dez reis não precedem o Anticristo, mas que estarão mancomunados em uma conspiração global para conquistar todo o poder político do mundo para si mesmos com o propósito expresso de entregá-lo depois ao Anticristo!
Assim, os estudiosos da Bíblia concordam que os dez chifres dessa profecia representam uma reorganização das nações do mundo em dez super nações, cada uma delas liderada por um rei. No entanto, eles não conseguiam entender o significado das sete cabeças que estarão suportando os dez chifres. No entanto, os desenvolvimentos que ocorreram nas duas últimas décadas aparentemente cumprem essa misteriosa profecia.
Considere as notícias:
As Sete Cabeças Já Estabelecidas

Resumo da Notícia: "G-7 Pressiona os Grandes Bancos a Oferecer a Renegociação da Dívida", Michale M. Phillips e Bob Davies, e Pamela Druckerman, The Wall Street Journal, 2/nov/98, pág. A27.
"As sete principais potências econômicas do mundo estão pressionando os bancos privados e os investidores a aceitar uma renegociação da dívida em nível internacional, incluindo o resgate que está sendo agora preparado para o Brasil. Em declarações nesta sexta feira, o Grupo dos Sete países mais industrializados apoiou a criação de uma linha de crédito pré-aprovada para os países que estão sob o perigo de serem atingidos por pânico dos investidores... Os líderes do G-7, os ministros da economia e presidentes dos bancos centrais enfatizaram que o setor privado precisa colaborar com o Fundo Monetário Internacional, com o Banco Mundial, e com as nações ricas para o financiamento do plano... 'o setor privado'... precisa estar apropriadamente envolvido na administração e na solução da crise', disseram os ministros da economia e presidentes dos bancos centrais do G-7."
O G-7 inclui os sete países mais industrializados do mundo: Grã-Bretanha, Itália, Canadá, Estados Unidos, França, Alemanha e Japão.
Desde o início, o objetivo da organização foi planejar uma transição tranquila das economias individuais dos países para uma economia global e um governo mundial. Muitas vezes desde então, o G-7 é referenciado como os "sete países mais ricos do mundo". Certamente, quando as nações que detêm 75% do Produto Nacional Bruto decidem apoiar algum objetivo e colocam seu peso econômico em uso, você pode ter certeza que o sucesso é muito mais provável que o fracasso.
De 1994-1997, a Rússia participa no grupo nas discussões políticas, o que deu origem ao termo G-8; no entanto, os russos não participam nas discussões econômicas. No encontro de 1998, em Birmingham, a Rússia passou a participar do grupo, supostamente como um membro pleno. No entanto, o grupo G-7 original continuou a se reunir como uma entidade separada e a tomar todas as decisões. Com o fracasso da Rússia de se converter para uma Economia do Livre Mercado e sua subseqüente decretação de moratória nos pagamentos da dívida externa, ela está definitivamente "fora do clube" com relação às decisões econômicas. O G-7 foi fundado originalmente por razões econômicas e não faz sentido permitir que um país que atravessa sérias dificuldades econômicas participe como membro. Como dissemos anteriormente, o G-7 tem o objetivo de preparar a transição para a economia da Nova Ordem Mundial.
Como provamos no Seminário 2, "America Determines the Flow of History", muito do ímpeto para alcançar o sistema de síntese da Nova Ordem Mundial foi e é, econômico.  Jesus falou mais sobre dinheiro e a forma correta de lidar com ele do que qualquer outro assunto, provando que o homem tende naturalmente à cobiça e à avareza. Como o mundo está sendo levado a esse sistema global, os líderes da Nova Ordem Mundial descobriram que as pessoas amam seu dinheiro tanto quanto amam seu país. Verdadeiramente Jesus estava certo quando disse: "Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração." [Mateus 6:21]. Lenta, silenciosa e gradualmente, o consórcio G-7 dos países mais ricos do mundo está levando o mundo para o Reino do Anticristo. O G-7 fornece a liderança principal para o estabelecimento desse vindouro Reino. O objetivo final é estabelecer a economia e o governo globais para que o Anticristo possa emergir para tomar o controle dele, exatamente como previsto na profecia bíblica.
Portanto, as sete cabeças de Apocalipse 13:1, provavelmente é o G-7.

  1. América do Norte (NAFTA);
  2. Europa Ocidental;
  3. Japão;
  4. Austrália, África do Sul e o restante da economia de mercado do mundo desenvolvido;
  5. Europa Oriental, incluindo a Rússia;
  6. América Latina;
  7. Norte da África e Oriente Médio;
  8. África Tropical;
  9. Sul e Sudeste Asiático;
  10. China.
O propósito dessa reorganização é especificamente facilitar a transição entre as muitas nações individuais do mundo hoje, para o governo global do Anticristo. A razão pela qual o número dez foi escolhido é por que Deus assim determinou na profecia desde o tempo de Daniel, e Satanás não tem alternativa senão cumpri-la à risca.

A Identificação Final Agora é Possível

Portanto, sabemos agora a identidade da besta de Apocalipse 13:1, que terá sete cabeças e dez chifres. A organização da Nova Ordem Mundial do G-7 cumpre a parte das sete cabeças da profecia, enquanto que a reorganização das nações do mundo em dez superações cumpre a parte dos dez chifres da profecia!
Assim, nas notícias do dia-a-dia, debaixo dos nossos narizes, Deus cumpriu essa misteriosa profecia bíblica! Certamente, o fim dos tempos, o aparecimento do Anticristo e o arrebatamento da igreja de Deus não podem estar muito longe. 

                                    o falso profeta convencerá a Muitos, arrastando multidões!